Lua Nova em Gêmeos

Lua Nova em Gêmeos

por Amanda Martins

 

O mapa da Lua Nova deste mês, para a cidade de Porto Alegre que ocorre no dia 13 de junho, nos fala de relacionamentos e da possibilidade de um verdadeiro encontro, o qual nos coloca diante da luz e da sombra (nossa e do outro). É importante estar atento para as possíveis projeções ao olhar para o outro, reconhecendo neste outro um espelho, em que vemos o pior e o melhor de nós mesmos. Não há forma melhor de nos conhecermos do que estando em relação. É a partir dos conflitos, dos desafios de cada dia, das divergentes visões de mundo que vamos descobrindo quem somos e que aprendemos a sermos verdadeiramente humanos. Somos feitos para estar em grupo, para nos relacionarmos, para aprendermos em conjunto – um dos objetivos de gêmeos, que a partir da comunicação, das relações e conexões que estabelece com os outros e com o mundo está sempre aprendendo coisas novas. É a criança com sua inata curiosidade descobrindo cada novidade do mundo, sempre atenta à vida. Buscando em cada encontro uma nova oportunidade de aprender um pouco mais de si mesma e do mundo.

As inúmeras tensões entre os planetas nesta Lua Nova nos trazem uma oportunidade de crescimento, podemos continuar com jogos de poder, manipulando para manter quem dizemos que amamos ao nosso lado, ou enfim reconhecer nossas feridas, descendo aos porões do nosso self para encontrar a real beleza de estar junto, crescendo com o outro.

Há uma disposição para a escuta sensível, capaz de se sensibilizar e empatizar, desde que possamos trabalhar nossa tendência a sempre levar tudo que nos falam para o lado pessoal. Mercúrio em Câncer traz a oportunidade de comunicar através dos sentimentos, do toque, da música, da expressão do corpo.

Estamos nestes tempos, naturalmente mais sensíveis e por isso, é preciso ter cuidado para não interpretar de forma equivocada aquilo que nos é dito. Use os dons geminianos para encarar a vida e as relações com mais leveza. Mesmo que a sua criança esteja ferida, faça o exercício de confiar. Uma terapia não convencional que envolva vivências, corpo, sentimentos, que inclua os sonhos pode ser também uma forma de nos encontrarmos com auxílio do outro.

Percebamos que as disputas e os conflitos nos relacionamentos são os conflitos que existem dentro nós mesmos. Essa percepção é a real beleza das relações: a oportunidade que o outro nós dá de ficar frente a frente com os nossos demônios, de poder amá-los e perceber a possibilidade de mudança que eles nos trazem.