Lua Nova em Sagitário

Lua Nova em Sagitário

por Amanda Martins

A Lua entra no entusiasmado signo de Sagitário e faz conjunção com o Sol; é Lua Nova. É tempo de semear aquilo que se quer ver crescer. Quais são os seus planos, onde a sua vista alcança? O que há para além do horizonte? Qual é o tamanho do seu sonho e quais são os seus anseios? Sagitário se quer livre, quer conhecer com toda a sua paixão o que há depois da curva, quer explorar o mundo e saber o que o move, o que há entre o céu e a terra. Quem sou? Para onde vou? São perguntas desse centauro que naturalmente filosofa sobre a vida.

A nova fase lunar inicia no dia 07 de dezembro, às 5h21min em Porto Alegre. E o mapa deste novo ciclo, tem o ascendente no profundo signo de Escorpião. Colado ao ascendente está o planeta Mercúrio que recém volta ao seu movimento direto. O interesse desse mês será pela investigação das profundezas da alma, a mente está afiada e só se interessa por aquilo que lhe toca a alma. Há um desejo de mergulho na própria psique e Escorpião é o signo mais capacitado para esta jornada, por que ele é íntimo da sua sombra e sabe a força que ela tem (para o bem e para o mal).

De acordo com a carta astrológica desse mês, pode ser que haja uma ênfase nos assuntos familiares, uma vez que há um conflito entre querer ampliar seus horizontes, se desenvolver e os interesses familiares. Conflitos esquecidos, situações ocultadas da infância podem vir à tona. Talvez esse mês peça uma revisão, um trabalho de investigação de quem se é e que passa pelo encontro com a própria ancestralidade. Marte conjunto Netuno na IV casa fala de uma violência inconsciente, camuflada. Um abuso psicológico. Algo que precisa ser lembrado para se poder tomar o destino nas mãos e ir além, como pede uma Lua conjunto Sol e Júpiter em Sagitário e para que não vire compulsão, autodestruição com todo o tipo de excessos também próprio de tudo o que é tocado por Júpiter, especialmente quando está domiciliado e em conjunção com os luminares.

Na família de origem, pode ter havido alguma exclusão ou algum antepassado pode ter se perdido ou ter sido abandonado. Pode ser que o próprio indivíduo em algum momento tenha se abandonado no caminho e esquecido dos anseios da sua alma. Pode ser que a agressividade que impulsiona a vida e faz brotar o novo tenha se voltado contra o próprio ser, esquecendo a dádiva da vida e que dela se é merecedor em toda sua graça e benção. Por vezes também, a raiva pode ter sido vista como um sentimento que não podia ser expresso ou que era expresso somente sob a forma de vitimização e manipulação. É preciso que se faça um trabalho de resgatar a força vibrante da vontade e aprender a expressá-la de modo objetivo e saudável. Isso pode ser feito a partir de processos terapêuticos, da dança, das artes marciais que possuem uma sabedoria sobre o bom combate.

Quando se trabalha essas questões que estão presentes na família de origem, beneficia-se a todos os membros da família indiretamente. É um tipo de serviço individual que reverbera no coletivo. Trabalhando essas questões é possível harmonizar-se consigo mesmo e resgatar o próprio valor, outra possibilidade que apresenta no mapa desse mês com Saturno em bom aspecto com Vênus. A inclusão da sombra, a percepção das reais feridas pode curar dores antigas e geracionais e há a possibilidade de estar-se aberto para deixar fluir o amor.